skip to content

Professor refugiado do Congo realiza palestra sobre violação da liberdade de expressão

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Íris Jesus
A Universidade Federal de Ouro Preto recebeu na semana passada, quinta (9), Sylvie Debs, criadora de uma casa de refúgio no Brasil, e o professor refugiado do Congo Felix Kaputu para proferir palestra sobre violação da liberdade de expressão.   

Guiados pelos professores da UFOP, Carlos Magno Paiva e Alexandre Bahia, inicialmente, explicaram a importância do Programa Ciências sem Fronteiras e os frutos do programa que serão colhidos, no futuro, como intercâmbio de conhecimentos. 

Sylvie começou com dados históricos sobre perseguições e artes degeneradas para explicar seu projeto. Ela criou, no Brasil, o CABRA (Casas Brasileiras de Refúgio) com base na rede ICORN (International Cities of Refuge Network) e contou que "trazer o projeto [para o Brasil] foi um prazer". 

Criado em 2006, o CABRA é uma estrutura para proteção dos escritores refugiados e foi desenvolvido com base na necessidade de haver cidades refúgios, já que, ao longo dos anos, houve aumento de pedidos por ajuda. Sylvie completou ainda que esse intercâmbio de informações é muito interessante e enriquecedor. 

O palestrante Felix Kaputu abordou a falta de liberdade de expressão. Por se posicionar ao lado dos estudantes de seu país, o professor acabou sendo mais um escritor que necessitou se refugiar após receber ameaças. Felix disse se sentir um privilegiado por estar na UFOP compartilhando a questão mundial, mostrando o "choque de realidade sobre o que acontece hoje em dia", como mortes, fugas e as dificuldades de quem decide imigrar. Diante disso, deixou a mensagem que "o mundo precisa se organizar e olhar para essas pessoas".

Para a aluna do 2º período de Direito, Marina Inácio Otaviano, esse é "um assunto atual, que permeou a história do mundo. É muito importante trazer pra dentro da Universidade pessoas que possuem a experiência em acolher ou ser um refugiado porque é algo que aumenta o contato com a realidade e ajuda no conhecimento jurídico".

Para ele, as universidades são o melhor lugar para estar e onde ele diz se sentir muito bem, pois "é o lugar da liberdade. Nela podemos celebrar a diversidade".
 

05117_img_7804_4747937147261942026.jpg

Iris Jesus
Público presente pôde conhecer mais sobre a vida dos refugiados

Veja também

17 Novembro 2017

A temática abordada no concurso é a "Percepção acerca do Turismo em Minas Gerais". As fotografias selecionadas irão compor a...

Leia mais

17 Novembro 2017

Aconteceu na última quinta-feira (16) mais uma exibição de filmes por meio do projeto Cinemas em Rede. Foram exibidos oito...

Leia mais

17 Novembro 2017

O projeto consiste na produção de áudios com informações sobre as atividades desenvolvidas pela atuação extensionista da Universidade. Criado em...

Leia mais

14 Novembro 2017

No último fim de semana, o Programa UFOP no Jequitinhonha realizou atividades na área de saúde, alimentação escolar e geração...

Leia mais