skip to content

Empreenda em Ação! é oportunidade de empreendedorismo

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Antonio Laia
Projetos que buscam soluções para problemas ou deficiências cotidianas. Esse é o principal objetivo das 16 ideias inovadoras que foram desenvolvidas em uma atividade semestral, realizada na disciplina de Empreendedorismo, ministrada em cursos da UFOP. Nela, os alunos desenvolvem um plano de negócio de um empreendimento fictício e o apresentam em um seminário aberto. 
 
Os projetos fizeram parte do Empreenda em Ação!, seminário realizado na quinta (3), no Auditório do ICEB. Trata-se de uma competição em forma de apresentações chamadas pitchs (apresentações rápidas, com cerca de 5 minutos) dos trabalhos desenvolvidos na sala de aula. 
 
Segundo um dos professores que ministra as aulas, André Luis Silva, a perspectiva de ter esse evento é aplicar, além das provas, métodos de avaliação que deem conta de colocar em cheque o que está sendo aprendido na teoria. “Os alunos tem que fazer um projeto real de uma empresa, o que acrescenta muito na formação deles e extrapola além da disciplina propriamente dita”, explica.
 
As ideias apresentadas foram desde o desenvolvimento de softwares até propostas para a indústria alimentícia e sesrviços noturnos, como produção de cerveja, cachaça, produtos sem glúten, lanches saudáveis e pub dançante. As propostas ganhadoras desta edição foram:
1º - Apity
2º - Cachaça-Gestor
3º - Meu Porta-voz 
4º -  Schistosoft
 
O evento
“O Empreenda em Ação é a conclusão de algumas disciplinas de Empreendedorismo que a Universidade oferece. Temos três professores trabalhando ativamente nessas disciplinas e, nesse final, promovemos esse concurso em que os alunos tem a oportunidade de mostrar o seu plano de negócios”, conta Marcelo Gomes Speziali, coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica e Empreendedorismo (Nite). Os participantes ainda tem a chance de tentar conseguir um investimento para o projeto com os componentes da banca e ouvintes do auditório que estiverem interessados.
 
Os alunos realmente veem na matéria uma perspectiva além das notas. “Eu comecei a fazer essa matéria por se tratar de um tema amplo que vai me ajudar em vários seguimentos dentro do curso”, conta Karen Bettin, aluna de Turismo. Seu projeto consta de uma casa noturna, chamada “Pub Vila Rica” e, segundo a aluna, eles desenvolveram essa proposta por ser uma carência existente na cidade.
 
O coordenador do Nite assegura que, mais do que a conclusão das matérias, a ideia é que o evento cresça e ganhe força a cada ano, para que se torne um evento institucional e que possa fazer parte de um movimento continuo no qual os professores poderão trabalhar o empreendedorismo em todos os seus níveis. A ideia é que não somente com os alunos, mas com técnicos, professores e toda Universidade, para que se possa ter alunos empreendedores, mas não necessariamente empresários. “A intenção é que isso surja como uma sementinha. Que possa crescer para que possamos atingir cada vez mais pessoas dentro e fora da universidade”, ressalta Speziali.

Veja também

21 Março 2017

O SaferTag é uma etiqueta que, em contato direto com a carne de aves, identifica se o produto está próprio...

Leia mais

21 Março 2017

Com duração de dois anos, o projeto piloto Patent Prosecution Highway (PPH) assinado entre o Instituto Nacional da Propriedade Industrial...

Leia mais

17 Março 2017

O I Encontro Internacional da Rede Escola Pública e Universidade, com o tema "Reformas de Ensino e Movimentos de Resistência:...

Leia mais

14 Março 2017

poster_fmp_janeiro_2017_440_x610.jpg A Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) está com inscrições abertas para o Prêmio Fernão Mendes Pinto 2017...

Leia mais