skip to content

Testagem em massa não é indicada para equipes em trabalho presencial na UFOP

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
A busca de cuidados pessoais e em grupo tem levado as pessoas a acreditarem que uma testagem em massa seria o mais indicado para o conhecimento da real situação de contaminação. Esse foi um dos assuntos discutidos na reunião do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus na quinta (9), com o questionamento de se todos que estão frequentando o espaço acadêmico deveriam ser avaliados. 
 
A possibilidade da testagem dos servidores e terceirizados da UFOP que estão trabalhando presencialmente, para saber quem foi ou não contaminado, foi descartada pelo comitê pela falta de utilidade dessa ação para o funcionamento da Universidade neste momento. A principal indicação é garantir a possibilidade do afastamento do trabalho ao menor sintoma e buscar a segurança do trabalhador.
 
A realização de testes em todas as pessoas que circulam na UFOP teria um alto custo e resultado, em termos de prevenção, quase nulo. Representantes do Comitê avaliaram que essas pessoas se deslocam para o trabalho, muitas delas em transporte público, o que poderia causar uma contaminação a qualquer momento, até mesmo no período entre o teste e o resultado da análise. 
 
Esse tipo de análise é importante quando é avaliada a situação de uma localidade, como a pesquisa que foi realizada na cidade de Nepomuceno (MG) por pesquisadores da UFOP. 
 
OUTROS ENCAMINHAMENTOS – Foram apresentados também os primeiros levantamentos da reunião realizada com a Prefeitura do Campus (Precam) para organizar as informações sobre a planta baixa dos prédios da UFOP, avaliando as entradas e áreas de circulação. 
 
Outro dado apresentado foram os cálculos do tipo R0, que é a taxa de reprodutividade das dez cidades que mais possuem alunos da UFOP. 
 
Sobre os laboratórios, foi reafirmada a necessidade da limpeza constante, que é preconizada, inclusive, na cartilha disponibilizada pelo Ministério da Educação. 
 
Quanto aos trabalhadores terceirizados, foi apontada a necessidade de garantir a segurança do pessoal da manutenção predial, conforme consulta da Precam, e, para isso, a empresa contratada deve prover os equipamentos de proteção individual específicos. No caso dos laboratórios do nível de segurança NB2, é necessário inclusive o vestuário específico.

Veja também

22 Janeiro 2021

Buscar meios de ampliar as informações foi um dos temas da reunião remota do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, realizada...

Leia mais

19 Janeiro 2021

O evento "Covid-19, Duas Visões: Escola e Front", que acontece no sábado (23), a partir das 9h, está com inscrições...

Leia mais

15 Janeiro 2021

Em reunião remota realizada ontem (14), o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus retomou as atividades com uma análise da crise...

Leia mais

4 Janeiro 2021

Um grupo formado por pesquisadores da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fundação Oswaldo...

Leia mais