skip to content

Pesquisadores da UFOP integram projeto de atualização do mapa do Quadrilátero Ferrífero

Twitter icon
Facebook icon
Google icon
Lívia Ferreira
Pesquisadores das Universidades Federais de Ouro Preto (UFOP), de Minas Gerais (UFMG), do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade de São Paulo (USP) e de Brasília (UNB) finalizaram a atualização do mapa geológico do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais. A região é a maior produtora de minérios do país e abrange, aproximadamente, 30 municípios da região do centro-sul do estado. O projeto foi coordenado pelo professor do Departamento de Geologia (Degeo) da Escola de Minas, Issamu Endo, e representa a consolidação de pesquisas desenvolvidas em nível de graduação e pós-graduação no Departamento em seus últimos 20 anos. O mapa foi lançado em uma cerimônia realizada no Campus Morro do Cruzeiro na última sexta (13).
 
Essa conquista é concomitante ao aniversário de 50 anos do primeiro projeto de reconhecimento e mapeamento geológico do Quadrilátero Ferrífero, liderado pelo estadunidense John Van Nostrand Dorr II, em 1969, período que estabeleceu a Geologia como campo de conhecimento e profissão no Brasil. A partir disso, o objetivo da nova cartografia é registrar as ocorrências minerais para planejar a ocupação do território, atendendo às novas necessidades das ciências e técnicas das mais diversas áreas.
 
“Trabalhos de conclusão de curso, dissertações e teses desenvolvidas aqui na UFOP resultam em pequenos mapas geológicos que, infelizmente, permanecem isolados na Universidade”, destaca Issamu Endo. “Assim, uma equipe de pesquisadores tomou a iniciativa de revisar esses mapas e reuni-los em uma única compilação. Além disso, pudemos contar com uma equipe técnica da Vale para cobrir as áreas que essas pesquisas não alcançaram. Ao final do processo disponibilizamos o resultado no Sistema de Informações Geográficas (SIG)”, finalizou. Para o professor, o novo modelo tectônico oferece outra visão sobre como as mineralizações estão ordenadas e controladas, o que potencializa as leituras da estratificação, possibilitando maior segurança na construção de obras civis nos locais mais adequados.
 
Paulo de Tarso, coordenador do Centro de Estudos do Quadrilátero Ferrífero, relembra que a publicação do novo mapa acontece, também, no ano em que se completam os cem anos do falecimento de Claude Henri Gorceix (1842 – 1919), mineralogista e fundador da Escola de Minas. Em suas palavras, “todos os que estão aqui hoje, desenvolvendo novas pesquisas e técnicas, são herdeiros dos integrantes das equipes americanas e brasileiras que desenvolveram o trabalho original sobre o desenvolvimento fisiográfico, estratigráfico e estrutural do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais. Nos sentimos honrados por integrar esse novo projeto, formado exclusivamente por pesquisadores brasileiros”. Para o vice-reitor da UFOP, professor Hermínio Arias Nalini Júnior, o trabalho da Universidade está em constante atualização, um papel legado, agora, aos futuros alunos e profissionais da Geologia e das áreas afins.
 
A reprodução do mapa (abaixo) foi divulgada na página oficial do Centro de Estudos Avançados do Quadrilátero Ferrífero. Confira!
 
 

Veja também

10 Setembro 2020

A série intitulada "Intempestivos" foi produzida com o objetivo de compartilhar as discussões fomentadas pela disciplina eletiva "Tópicos de crítica...

Leia mais

4 Setembro 2020

Em 2020, devido à pandemia do coronavírus, o evento será realizado de maneira remota, entre 8 e 10 de setembro...

Leia mais

3 Setembro 2020

O Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas (Nupeb) recebe até 16 de outubro propostas para ocupação de laboratórios de pesquisa...

Leia mais

2 Setembro 2020

Está disponível o edital de auxílio à publicação de artigos científicos, que tem como principal função subsidiar despesas de custeio...

Leia mais