skip to content

Comissão faz nova rodada de discussão sobre a UFOP na pandemia

Twitter icon
Facebook icon
Google icon

Representantes da Administração Central, do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos da UFOP (Assufop), membros da Comissão de Monitoramento Administrativo e Acadêmico, fizeram ontem (12/05) nova reunião para discutir a crise provocada pelo novo coronavírus e seus impactos na Instituição e no seu entorno. Funcionamento do laboratório para testagem da Covid-19, retomada das atividades presenciais na UFOP, Enem e campanhas educativas para trabalhadores terceirizados foram os principais temas abordados pelos presentes, que estiveram reunidos remotamente.

Foi pontuado que a UFOP, por meio do Laboratório de Imunopatologia do Núcleo de Pesquisas em Ciências Biológicas (Nupeb), com capacidade de realizar 200 testes por dia para a detecção da Covid-19, está tentando ampliar a área de influência dessa ação. Negociações nesse sentido, segundo representantes da Administração Central, estão sendo feitas com a Secretaria de Estado da Saúde, uma vez que o laboratório da universidade foi credenciado, no último dia 28/04, para fazer parte da rede de laboratórios parceiros da Fundação Ezequiel Dias (Funed), responsável pela realização dos exames em Minas Gerais.

RETOMADA – A perspectiva da retomada das atividades presenciais, incluindo o semestre letivo, voltou à pauta do encontro, assim como ocorreu nas duas últimas reuniões. Foi consenso entre os presentes que existem dificuldades para uma volta imediata face às incertezas que se apresentam na atualidade. A reitora Cláudia Marliére disse que, caso o MEC venha a estabelecer o uso da Educação a Distância como alternativa para não se perder o semestre, a UFOP tem muitos desafios para vencer as dificuldades que se apresentam em termos de infraestrutura e pessoal. Segundo ela, por meio de "dados levantados pela Prograd, teremos base para discutir com a comunidade o que fazer diante desta situação".

Sobre esse levantamento, a pró-reitora de Graduação, professora Tânia Rossi Garbin, explicou que a UFOP está realizando estudo, a partir dos possíveis desdobramentos da crise em curso. Ela disse que, na próxima semana, começa uma pesquisa junto aos alunos, servidores técnico-administrativos e docentes, cujos resultados, somados ao diagnóstico em elaboração pelos técnicos da Prograd, serão submetidos à comunidade para discussões e elaboração de propostas para análise do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão.

ENEM – A possibilidade de realização do Exame Nacional do Ensino Médio durante a pandemia também foi motivo de preocupação dos membros da comissão. Além de questões referentes aos riscos de contágio pelo novo coronavírus diante das aglomerações geradas em corredores e salas de aula que recebem os candidatos, discutiu-se muito sobre os prejuízos que podem ser causados aos alunos mais carentes.

As representantes do DCE Amanda Oliveira e Vitória Pinheiro de Almeida lembraram que, somando a possibilidade de choque de calendários entre datas do Enem com exames vestibulares de outras instituições, é preciso pensar naqueles 37% dos alunos do ensino médio que não tem acesso à internet. Com a suspensão das aulas nas escolas públicas, elas ponderam que essas diferenças acentuam os prejuízos entre os alunos mais carentes.

CAMPANHAS – A publicação de nota técnica do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus também foi discutida no encontro. Carolina Ali Santos e Rondon Marques Rosa explicaram que a nota, que é uma demanda da comunidade, chega em momento crucial, haja vista que as máscaras caseiras devem ser usadas quando não for possível manter o isolamento social. De acordo com a nota, tais artefatos têm efeito comprovado para evitar que pessoas contaminadas aumentem a disseminação do vírus.

Na oportunidade, os representantes do Comitê lembraram que outras campanhas estão em curso, a exemplo de uma cartilha com recomendações mais permanentes, uma vez que a crise tende a continuar por prazo ainda indeterminado. As recomendações visam, principalmente, resguardar a saúde das pessoas que trabalham presencialmente nos campi da Universidade, em especial os colaboradores terceirizados.

Participaram também da reunião, pelo Assufop, o presidente Sérgio Neves e, pela Administração Central, o vice-reitor Hermínio Nalini, o chefe de gabinete Élido Bonomo e o pró-reitor adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Máximo Eleotério Martins.

Veja também

28 Maio 2020

A Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento (Proplad) comunica a todas as unidades e departamentos acadêmicos e aos setores administrativos da...

Leia mais

27 Maio 2020

A Comissão de Monitoramento Administrativo e Acadêmico, por meio de webconferência, se reuniu na tarde de ontem (27/05) para nova...

Leia mais

22 Maio 2020

Com atividades presenciais paralisadas há mais de 60 dias, a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) continua ativa, principalmente nas...

Leia mais