skip to content

Comissão

Com trabalhos iniciados em dezembro de 2018, a comissão foi instituída com o objetivo de executar as atividades do cinquentenário da Instituição apresentadas à reitora Cláudia Marliére. Embora o aniversário de fundação da Universidade Federal de Ouro Preto seja dia 21 de agosto, a ideia é comemorar com atividades durante todo o ano.

A comissão é presidida por Flávio Andrade, assessor da Pró-Reitoria de Extensão (Proex), e organizada por Fernando Antônio Borges Campos, reitor da UFOP em 1984 e atualmente professor do curso de Engenharia Civil; Victor Vieira de Godoy, professor aposentado e atual Conselheiro da Escola de Farmácia; Zenóbio dos Santos Júnior, responsável pelo Arquivo Central da UFOP; Luiz Antônio Prazeres, professor do curso de Letras; e Chico Daher, coordenador da Comunicação Institucional da UFOP.

Assim que o ano começou, a comissão iniciou a atuação, preocupando-se em resgatar a memória da Instituição e, ao mesmo tempo, aproximá-la da comunidade. Flávio Andrade se diz satisfeito com todas as atividades e os resultados até agora, destacando a forma como as pessoas estão demonstrando interesse em participar e como precisamos conhecer e gostar da Universidade para além da sala de aula.

Algumas atividades iniciadas no primeiro semestre foram: as duas mesas-redondas realizadas no dia do geólogo (30/05); a mesa-redonda "Democracia, conjuntura econômica e direitos: para onde vai a universidade pública?", realizada no âmbito do Festival de Inverno; a divulgação do concurso de redação para estudantes do 9º ano; o plantio de 50 mudas de árvores no campus Morro do Cruzeiro e o projeto de educação ambiental nas escolas de Ouro Preto; a publicação, que ocorrerá ainda este ano, de um livro sobre a trajetória da Universidade Federal de Ouro Preto para deixar registrado não somente na memória, mas também no papel, qual foi e é a importância da Universidade para todos; a campanha "Cartas para o futuro" e, por fim, a abertura da cápsula do tempo de 2009 e a criação de uma nova para ser aberta apenas daqui a 25 anos. 

"Sou servidor público há 39 anos, tenho muito orgulho de ser servidor e quero que ela [a Universidade] seja importante para todo mundo. Então, a ideia dos 50 anos é isso: mostrar que estamos aqui, o que nós fazemos e chamar cada vez mais pessoas para participar com a gente", conclui Flávio.